terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

O bar mais bonito do mundo

Desculpe-me o Salommão, que fica naquele casarão antigo lindo e que eu sempre indico para quando um amigo (ou amiga) vai ter um primeiro encontro. Peço desculpas também ao Anhanguera, com seus lustres maravilhosos, que toda vez que eu vejo repito que ainda vou ter um igual. Desculpa Drakes, porque seu jardim é mesmo muito alto astral (com o perdão da bicho-grilice). Desculpa Conspiração do Jogo, afinal sempre defendo uma ida à Cantareira só para ficar nas dependências do Velhão - para sentir cheiro de mato e curtir o clima de antiquário. Desculpe-me Hugo, porque, dos botecos, você realmente é o mais lindinho. Peço clemência até mesmo a você, Skye, que tem uma vista sensacional de São Paulo, esta cidade da qual a gente reclama muito, mas ama de paixão. Aproveito e peço perdão também à minha cidade: desculpe-me São Paulo. Aliás, desculpem-me todas as cidades brasileiras e todas as cidades de todos os países, incluindo aqueles que nunca visitei e que nunca vou visitar...



...mas o bar mais bonito do mundo fica em Salvador e se chama Bar da Ponta
Os petiscos não são exatamente originais nem tão variados, o preço é um pouco salgado. Mas e daí? O bar criado sobre um hangar desativado tem assinatura do arquiteto David Bastos e é cercado de vidro por todos os lados. O resultado é um visual de babar, principalmente no pôr-do-sol, como no momento desta foto clicada por Edson Ruiz.

Ideal para: happy-hours, ir a dois, ir sozinho, fazer pedido de namoro/casamento, comunicar uma gravidez, terminar um relacionamento, contratar num funcionário, comemorar (qualquer coisa), realizar uma demissão. Explica-se: a vista lindíssima é tão perfeitamente capaz de emoldurar boas notícias, como, no caso das más, mostrar que há muito mais nessa terrinha de meu Deus do que o tema da conversa para tanto se lamentar.
Bar da Ponta - Avenida Contorno, 2 - Praça dos Tupinambás, 0/xx/71/ 3326-2211

5 comentários:

André Maleronka disse...

ae sucesso!

lufec disse...

o bar mais lindo da vida da pessoa! e eu fui no restaurante vizinho, do mesmo arquiteto, o trapiche adelaide. e, pra não ir sozinha, durante a peregrinação pelo nordeste, fui com um sujeito que conheci no ae-ro-por-to! rá!

Marina Fuentes disse...

No maior clima "Eu (coração) transeuntes"!

Tiago Mesquita disse...

que texto bonito. um dia eu levo a juliana lá

renatasim disse...

eu quero ir :)