sexta-feira, 3 de abril de 2009

Super Homem na Pink Elephant

Você já foi à Pink Elephant? Eu não - ir a boates upscale definitivamente não está entre meus programas favoritos. E é por isso que outro dia eu não soube responder quando ele me perguntou assim – “é verdade que lá acende um holofote sobre o sujeito que compra uma champanhe daquelas grandes e toca a música do Super Homem?”. Heim?

Achei que era um daqueles boatos sobre lugares que viram uma espécie de lenda urbana. Disse que era improvável. Mas ele insistiu: “quem ia inventar uma coisa dessas?”. Tá certo, ninguém seria tão criativo. E como já vi as práticas mais bizarras do mundo em clubes – em especial os voltados ao público AAA, que visitei quando cobria Noite na Folha – resolvi ir atrás.

Fonte oficiais consultadas e...sim, é verdade o papo do super homem das champanhes. Na verdade, nas palavras da fonte oficial, é assim:

“Todas as champanhes são servidas como um espécie de chuva de prata. (fogos de artifício – uma versão mais robusta daquelas velas de aniversário, com pólvora). A regra para parar toda a balada e tocar a música do superman é a seguinte: o cliente tem que pedir uma Veuve Cliquout Jeroboan, que é a garrafa de 3 litros (R$ 2.800), ou 11 ou mais unidades das champanhes de tamanho normal – 750ml (R$ 485).”

Daí quando eu fico pensando que se eu estivesse lá (qual a possibilidade?), morrendo de vontade de tomar uma champa (ok, mas a R$ 485?) por que eu ia querer passar o carão de ser alvo de holofote, música do Super Homem e fogos de artfício?

Eu não ia querer, mas muita gente sim. E muito.

“Já tivemos um caso que um cliente pediu 22 de uma única vez! (rs)”

E descolei a foto do momento da entrega para o “super homem” X 22




...
(silêncio de espanto)

12 comentários:

Júlio Bernardo disse...

Pois é.
Esse é o tipo de comportamento que me envergonha em ser humano.
Mil vezes um botequim. Mas é apenas meu gosto pessoal.
Abraço!

Marina Fuentes disse...

E olha que eu sempre tento entender o gosto dos outros -nem sempre dá.
abraço!

André Maleronka disse...

é difícil pra mim comentar sobre essas paradas

Mautex disse...

hahaha não tem o que dizer sobre isso. Não tem, não tem.

Carol disse...

É incrivel a que ponto chega a auto-aprovação do ser humano,né?
Acho que se eu estivesse lá, iria procurar pelo aniversariante!

Rapha Bento disse...

É(...)
Entender a diversão do outro é um dever,é respeitar o direito do próximo.Cada um com sua superficialidade(haja ...)

Marina Fuentes disse...

Justamente Rapha...justamente...

Anônimo disse...

Ma, deixa de contar uma pior... Fiquei sabendo que em ibiza e cia eles tb fazem isso nas baladinhas de playboy, mas o detalhe é que por lá as garrafas custam 100 mil euros ou mais. Acredita?

Eu não consigo imaginar situacao mais cafona que essa!

bjo, curu

Anônimo disse...

Esse cara que pediu 22 de uma vez foi o Rodrigo Vieira, namorado da Heleninha Bordon, filha da Donata, da Daslu....O cara é só o herdeiro da coca cola...hahaha

Anônimo disse...

VCS FALAM ISSO PORQUE NAO TEM DINHEIRO PARA ENTRAR NUMA BALADA DESSAS!!!!! EU AMOOOOO

Igor Sartori disse...

...eu tenho vergonha de quem rouba... que quem sonega... de quem suja a rua...

Chegar na Pink com os amigos...tomar champa a vontade... bagunçar com as chuvas de prata

isso não deveria envergonhar ninguém... não vejo falta de respeito... balada é diversão... momento sério é na mesa do escritório !

Desculpe-me por descordar, respeito a opinião dos demais, estou apenas aportando a minha...

Abraços
IS

Anônimo disse...

Pessoal, me desculpem mas acredito que vocês são contra ou preferem o botequim porque não tem a grana que as pessoas que vão nesses lugares tem.

Todo mundo gosta da sensação se poder, imagine você sendo o super homem da balada? Mostrando que você pode mais do que qualquer um lá.

Eu não tenho dinheiro pra isso, mas se tivesse eu faria.